Oleirita | Pesca no Inverno

Falar sobre a Técnica de Pesca à Francesa
Mensagens por ler • 15 mensagens • Página 1 de 21, 2

Oleirita | Pesca no Inverno

Mensagem não lidapor infopesca » 31/jan/2013, 23:34

João Pechincha, um dos maiores valores da Pesca Desportiva Nacional, descreve a pesca de inverno na Barragem da Olerita, considerado o melhor Carpódromo de Portugal.


A pesca na Oleirita no Inverno

Localização e Caracterização

A barragem da Oleirita situa-se no concelho de Arraiolos, a nordeste desta vila alentejana. Tem uma área de cerca de 320000 m2 e pode dividir-se em 4 zonas de pesca distintas: os Eucaliptos, as Carraças, o Paredão e os Sobreiros.

Durante o Inverno a barragem tem capacidade para 40 pesqueiros, estando quase todos os fim-de-semanas preenchidos com as inúmeras provas ali realizadas.

A profundidade aos 13 metros varia conforme a zona de pesca, nas Carraças a profundidade é de cerca de 0,80/1,20 m, nos Eucaliptos e nos Sobreiros varia entre 1 m e os 3 m e no Paredão entre 1,5 m e os 4 m. Estas são as profundidades médias na altura do Inverno, para quando a cota de água está praticamente no máximo.



Tipos de pesca e espécies existentes

As espécies predominantes são as carpas de vários tipos (comum, espelhada e algumas de cor escura) entre as 0,100 kg e os 3 kg, os pimpões de várias cores (normal, dourado e vermelho) entre as 0,100 gr e 1 kg e os híbridos de carpa-pimpão que geralmente pesam entre 0,800 kg e 1,5 kg.

Numa prova de 4 horas nesta barragem consegue-se, mesmo em condições de Inverno, fazer 30 kg numa prova individual ou 50 kg numa prova à Americana.

O tipo de pesca mais produtivo e mais utilizado por todos os frequentadores da Oleirita é a pesca à francesa. Esta técnica é usada em todas as zonas de pesca, variando a distância de pesca entre os 5 e os 13 metros conforme a profundidade do pesqueiro. A pesca à inglesa é muito pouco rentável e pouco usual nesta barragem.

Engodagem

A preparação dos iscos é uma componente fundamental para uma boa classificação em qualquer local de pesca.

Na Barragem da Oleirita no Inverno costumo usar 2 kg de engodo Carpa Especial ou Euro Carp 3000 da Colmic com 1/1,5 kg de terra de somme preta. Opto por adicionar terra ao engodo para lhe conferir mais compacidade e para o escurecer, tornando-o de uma cor mais natural e semelhante ao fundo.



Utilizo ainda 1 kg de trigo cozido, 0,5 kg de cânhamo cozido, uma lata de milho, 1 litro de asticot (brancos e alguns vermelhos misturados) e ¼ litro de minhocas.

Sempre que pesco na Oleirita no Inverno, a minha engodagem inicial é feita exclusivamente de coupelle para concentrar ao máximo a zona onde os peixes se vão alimentar. Sinto que é bastante importante este pormenor porque durante o Inverno, e com as águas frias, os peixes tendem a ser muito menos activos e mais desconfiados.

A engodagem que normalmente faço é: 10 a 12 bolas de engodo com terra, 2 coupelle’s de sementes (trigo, milho e cânhamo) e 2 coupelle’s com asticot solto e algumas sementes.

Caso o pesqueiro tenha uma profundidade de 2,5/3 m ou esteja bastante vento, em vez de asticot solto utilizo asticot colado com alguma gravilha, permitindo que os asticot’s cheguem mais rapidamente ao fundo.

Durante as 4h de prova o ritmo de engodagem é dependente do ritmo de capturas.

Se os peixes colaborarem, continuo a colocar sementes, asticot e bolas de engodo com a coupelle em intervalos de 10/15 minutos. Se os peixes não colaborarem, tento alterar a forma e o tipo de engodagem, passando a colocar mais asticot que sementes, ou vice-versa, e cortando algumas minhocas para dentro do engodo.

Só utilizo a fisga em casos extremos, quer seja nas situações em que não sinto os peixes no pesqueiro, para tentar atrair e excitar os peixes com o barulho e o aumento da frequência de engodagem, tentando torná-los mais activos; quer seja nas situações em que o peixe já se encontra activo e com ritmo elevado, permitindo uma constante engodagem para manter os peixes no nosso pesqueiro.

Técnicas usadas

Na zona das Carraças e nos pesqueiros com menos profundidade dos Eucaliptos e dos Sobreiros a pesca é totalmente feita aos 13 m, enquanto nos restantes locais a pesca pode ser feita mais perto conforme as profundidades.

As bóias mais utilizadas são sem dúvida as de gramagens entre as 0,20 gr e as 0,50 gr. Apenas em condições de muito vento lateral ou de uma grande profundidade é que utilizo montagens de 0,75 gr. Mesmo que monte uma bóia mais pesada, sei, à partida, que vai ser a menos utilizada porque nesta altura do ano os peixes são muito desconfiados e sentem o peso da bóia quando tocam na iscada. Como os toques chegam a ser subtis, é essencial que as bóias estejam muito bem calibradas, não só com os chumbos da montagem mas também de acordo com a iscada (bóias pequenas e iscadas grandes pode levar a sobrecalibragem) e com a sondagem feita.



A sondagem que costumo utilizar varia entre colocar o anzol a rapar o fundo e colocar meio empate assente no fundo, conforme está pouco ou muito vento, respectivamente.

Nas montagens utilizo fio 0,145 ou 0,165 mm X5000 da Colmic, com uma distribuição de chumbos aberta. Os terminais são de 25 cm com fio 0,125 mm Stream da Colmic e, por vezes, o 0,105 mm. Nesta altura do ano, raramente utilizo fios mais grossos que um 0,12 mm e muitas vezes sou forçado a baixar para o 0,10 mm para poder ter algumas picadas. Consegue-se facilmente capturar uma carpa de 2 kg com estes fios, desde que se tenham os elásticos adequados. Os elásticos indicados para esta altura terão que ser macios, sendo o ideal o elástico oco de 1,80 mm (no máximo um elástico oco de 2,00 mm) ou os maciços de 1,00 ou 1,20 mm.

Tal como os fios e os elásticos, também os anzóis têm que ser adaptados a estas condições. Dependendo do ritmo de capturas, os anzóis que mais utilizo são os números 14 e 16 da N600 ou do 14 ao 18 da BS5000 Nuclear da Colmic. São anzóis típicos de carpas e pimpões, finos, resistentes e nas dimensões que considero ideais para a pesca nesta barragem. Conforme for o tamanho da iscada, assim será também o tamanho do anzol.

Geralmente no Inverno neste local, tenho duas iscadas preferidas: dois asticot’s brancos e um vermelho ou uma minhoca e um asticot vermelho. Utilizo também outras iscadas com bons resultados, como o chamado panaché de milho com minhoca ou de milho com asticot e apenas um bago de milho. Todas elas resultam na perfeição, basta que se experimente e se consiga perceber qual a que os peixes elegem. O que acontece com frequência é obter-se 4/5 capturas com uma determinada iscadas e depois termos que trocar para outra, procurando novamente aquela que os peixes preferem.

Este é, sem dúvida, considerado o melhor carpódromo do país!

João Pechincha - Clube EborenseAmadores Pesca Desportiva
Visualizar o artigo no Portal Infopesca | Pesca Online!
Avatar do Utilizador
infopesca
 
Mensagens: 40
Registado: 06/jan/2013, 20:44

Re: Oleirita | Pesca no Inverno

Mensagem não lidapor João Rodrigues » 01/fev/2013, 12:09

No passado domingo visitei pela 2ª vezes este belo carpodromo para disputar um convívio a americana, fiquei na zona dos Sobreiros apostamos por fazer um pesqueiro com 1kg de engodo com 1 kg de terra double leam colocamos 12 bolas a mão, depois por cima do engodo colocamos terra com minhocas cortadas desta vez de copelle, colocamos algumas sementes de copelle e optamos por fisgar uns milhos visto as carpas gostarem muito do barulho do milho na agua. Acabamos por fazer 32 kg não conseguimos ritmo de capturas mas tivemos um lote de peixe fantásticos!
Derivado ao muito vento lateral pescamos com bóias 0.75 e o terminal no fundo!
Avatar do Utilizador
João Rodrigues
 
Mensagens: 4
Registado: 31/jan/2013, 22:52

Re: Oleirita | Pesca no Inverno

Mensagem não lidapor FilipeLopes » 01/fev/2013, 22:45

:) :) :)
Tenho de ir a Oleirita fazer o gosto ao dedo,talvez depois da prova de Feeder em Abril.. :D :D
Tem um optimo aspecto :) :) :)
Tight Lines
Filipe Lopes
Avatar do Utilizador
FilipeLopes
 
Mensagens: 10
Registado: 31/jan/2013, 22:23

Re: Oleirita | Pesca no Inverno

Mensagem não lidapor joao emilio » 01/fev/2013, 23:28

uma barragem que gostava muito de conheçer.
Avatar do Utilizador
joao emilio
 
Mensagens: 43
Registado: 01/fev/2013, 22:54

Re: Oleirita | Pesca no Inverno

Mensagem não lidapor Carlos Mesquita » 03/fev/2013, 23:28

Excelente artigo Pechincha, que seja o primeiro de muitos!!!! ;)
Avatar do Utilizador
Carlos Mesquita
 
Mensagens: 1
Registado: 31/jan/2013, 23:00

Re: Oleirita | Pesca no Inverno

Mensagem não lidapor João Bastos » 05/fev/2013, 11:41

Excelente artigo!!! Venham mais... :P
Avatar do Utilizador
João Bastos
 
Mensagens: 1
Registado: 05/fev/2013, 10:45

Re: Oleirita | Pesca no Inverno

Mensagem não lidapor Nuno Dias » 05/fev/2013, 17:51

UM bom relato de pesca .
local de pesca espetecular, quando poder post umas fotos.
Avatar do Utilizador
Nuno Dias
 
Mensagens: 7
Registado: 01/fev/2013, 07:54
Localização: seia

Re: Oleirita | Pesca no Inverno

Mensagem não lidapor infopesca » 05/fev/2013, 18:49

Avatar do Utilizador
infopesca
 
Mensagens: 40
Registado: 06/jan/2013, 20:44

Re: Oleirita | Pesca no Inverno

Mensagem não lidapor Daniel Cardoso » 05/fev/2013, 19:23

Uma boa ajuda para quem se inicia e uma ótima ferramenta para quem por lá tiver provas.
Bom relato, pleno de conhecimentos.
Avatar do Utilizador
Daniel Cardoso
 
Mensagens: 2
Registado: 01/fev/2013, 19:15

Re: Oleirita | Pesca no Inverno

Mensagem não lidapor Carlos Trigo » 05/fev/2013, 22:04

Bom relato João, está lá tudo, só falta mesmo é pescar, a Oleirita é um excelente local, pena só ainda ter lá feito uma pesca é que com 22kg fiz 15º. :shock:
Avatar do Utilizador
Carlos Trigo
 
Mensagens: 32
Registado: 01/fev/2013, 12:36

Próximo

15 mensagens • Página 1 de 21, 2

Voltar para Francesa

Quem está ligado:

Utilizadores a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 0 visitantes

cron